Chrome não irá bloquear redirecionamento automático

Quem navega pela internet em algum momento já se deparou com páginas que pediam para o internauta clicar em um link e assim os pedidos iam se repetindo. Essas páginas sempre tentam redirecionar o acesso para outras páginas com um botão de “Play” para vídeo ou de fechar a janela pop-up. Alguns armazenam até mesmo “malwares” que podem afetar o desempenho e as funcionalidades de um computador.

De olho nessas páginas traiçoeiras o navegador do Google, o Chrome, terá novas ferramentas para lutar contra essa característica prejudicial na internet.

Hoje, o navegador está na versão 62, mas nas versões 64 e 65 haverá ferramentas novas para ajudar contra os redirecionamentos inconvenientes. Em geral, a cada sete ou dez dias o navegador tem uma nova versão, ou seja, não irá demorar muito para a versão 64 estar disponível.

Para não fazer o usuário sair indesejadamente da página em que estava, o Chrome irá exibir apenas uma barra de informações em páginas de redirecionamento. Dessa forma o usuário permanecerá acessando a página em que estiver sem ter o risco de acessar um conteúdo inesperado ou inconveniente.

Os redirecionamentos abusivos que existiam sem um motivo e que estão em um conteúdo de terceiros incorporados na página, também serão impedidos pela ferramenta, ainda que o administrador do site de origem não esteja de acordo com essa ação. O navegador impedirá o redirecionamento acionando a barra de informação depois de detectar a intenção do site, evitando que a aba principal seja redirecionada.

A terceira ferramenta será ainda mais efetiva e útil pois impedirá que cliques pelo site em botões invisíveis levem a outra página involuntariamente, não permitindo a abertura de novas abas. Em janeiro, o bloqueador de pop-ups do Chrome estará com essa funcionalidade para bloquear ações de sites do gênero.

Quem é administrador de páginas que possuem redirecionamento automático poderá ver os problemas no relatório de experiências abusivas que estarão identificados pelo Google, e caso exista algum problema, o administrador deverá encontrar uma forma de resolvê-lo. Caso os abusos não sejam corrigidos, o Google poderá ativar a prevenção contra as novas abas abusivas do site.