Com a crise, dispara o número de brasileiros que estão saindo do país

Viver em outro país e enfrentar todos os desafios de uma mudança cultural não tem sido obstáculo para um número cada vez maior de brasileiros, em um espaço de tempo de sete anos o número subiu para mais de 165%.

Observando o período que se deu esse crescimento, que foi em 2015 e 2017, constata-se claramente que esse aumento acima do esperado se dá em meio à crise econômica que aconteceu exatamente nesse período. Índice que vem aumentando vertiginosamente nos últimos sete anos. Não é uma decisão fácil de ser tomada diante das dificuldades que serão enfrentadas, mas o brasileiro assim como muitos latinos arriscam a imigração.

Em 2011, 8,1 mil pessoas saíram do Brasil em busca de oportunidade de trabalho e de vida em outro país, de lá para cá, esse número subiu para 21,7 mil, dado mais recentes. De 2015 para 2016 o aumento foi de 40%, quando no ano anterior este aumento foi muito inferior não passando dos 19%.

O governo aposta e faz declarações de melhora na economia para 2018, mas o brasileiro não confia e os que podem, migram para outros países mesmo sabendo que enfrentarão descriminação, o que acontece de forma muito mais explicita em regiões europeias mais xenofóbicas.

O perfil dos brasileiros que estão deixando o Brasil, é de pessoas com uma situação financeira boa, (classe média alta) na sua maioria empresários que querem oferecer um outro padrão de vida para seus familiares, poucas são as questões que impedem essas mudanças em período de crise.

Também vale salientar que desde o meio do ano passado aumentou a quantidade de estrangeiros que se mudaram permanentemente para o Brasil. Cidades mais próximas da fronteira tem recebido uma quantidade grande colombianos e venezuelanos. O fenômeno acontece devido a novas decisões do governo desses países que acabaram por afetar ainda mais a já bastante frágil economia.

Existem previsões positivas de crescimento econômico e queda de inflação para o ano de 2018 realizada por economistas e especialistas brasileiros, porém os mesmos especialistas acreditam que essas previsões não são o suficiente para retardar a ida dos brasileiros.